A OBRA DE ARTE NA ERA DE SUA REPRODUTIBILIDADE TÉCNICA – UMA RELEITURA DOS ESBOÇOS DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012 (http://xtudotudo6.zip.net/arch2012-12-01_2012-12-31.html) ou: Ensaio confuso sobre a técnica que se perde em especulações políticas

Grunewald

Ed. L&PM, 2013.

Trad. direta e seleção: Gabriel Valladão Silva, mestre em Filosofia, a prova de que doutor não é só quem faz doutorado.

Org., seleção, prefácio e revisão: Márcio Seligmann-Silva

Revisão final: Marianne Scholze

DIC – incunábulo: impressão pré-gutenbergiana

Quando eu nasci meus pais tiveram a idéia de que eu pudesse me tornar um escritor. Então seria bom que ninguém notasse imediatamente que eu era um judeu.”

Fuld – Walter Benjamin zwischen den Stühlen

No semestre de invenro de 1912-1913, Benjamin estudou na Universidade de Berlim, onde freqüentou aulas de Georg Simmel, Ernst Cassirer, Kurt Breysig (um dos poucos professores de quem Benjamin gostou) e Brenno Erdmann, entre outros.”

Apenas a confessada nostalgia de uma infância feliz e de uma juventude digna é a condição da criação. Sem isso, sem o lamento de uma grandeza perdida, não será possível nenhuma renovação de sua vida.” Benjamin, Documentos de cultura, documentos de barbárie

Em outubro do mesmo ano, o amigo de Benjamin Fritz Heinle suicidou-se junto com a amiga Rika Seligson, em parte devido ao início da gerra. Benjamin ficou muito abalado com esse fato e dedicou alguns sonetos ao amigo.”

W.B. – Dois poemas de Friedrich Hölderlin, “Dichtermut” e “Blödigkeit”

Em 1916, ele escreveu não apenas o que seria um primeiro esboço de seu livro sobre o drama barroco alemão (os artigos <Trauerspiel und Tragödie> [Drama barroco e tragédia], <Die Bedeutung der Sprache in Trauerspiel und Tragödie> [O significado da linguagem no drama barroco e na tragédia], como também compôs seu longo ensaio <Über die Sprache überhaupt und über dis Sprache des Menschen> [Sobre a linguagem em geral e sobre a linguagem humana].”

W.B. – Die Aufgabe des Übersetzers [A tarefa do tradutor]

Em 1922, ele concluiu um longo ensaio sobre As afinidades eletivas, de Goethe.”

<teor coisal> (Sachgehalt) e <teor de verdade> (Wahrheitsgehalt) (…) sem-expressão (Ausdruckslos), variante da teoria do sublime”

O Ursprung des Deutschen Ttrauerspiels (Origem do drama barroco alemão]: “Benjamin estava ciente de que seu ensaio – composto por cerca de meio milhar de citações [!] e baseado em uma ousada teoria neoplatônica das formas literárias – ia contra as regras da academia. Esse ensaio de Benjamin deve ser considerado como um dos textos mais radicais da primeira metade do século XX.”

Lacis abriu para Benjamin o mundo da nova literatura marxista, representada então por obras como História e consciência de classe, de Lukács, que Benjamin leu já em 1925. (…) Mas a verdade é que Benjamin se volta para o marxismo – e não tanto para o comunismo [não parece] – por influxo não apenas de Lacis, mas também de Bloch e de uma circunstância histórica e social que definiu essa guinada na vida de muitos intelectuais de então. O próprio Benjamin encontrava-se desde 1923 em uma situação de penúria econômica cada vez mais acentuada. Sua esposa, Dora, o sustentou entre 1922 e 1923 [e recebeu um belo prêmio por isso, como veremos mais tarde…]. Ele não podia mais contar com o apoio de seus pais. Seu pai, que viria a morrer em 1926, estava em bancorrota com a crise econômica na Alemanha do pós-guerra. A situação econômica de Benjamin não mudaria muito até o final de sua vida. (…) Ele encontrou nos autores marxistas um novo modo de revitalizar a crítica, o que já havia iniciado com sua leitura de F. Schlegel e de Novalis. O romantismo de esquerda foi reconhecido por ele prontamente como uma nova morada para seu pensamento e sua ação política.”

Ele escreveu um artigo sobre Goethe para a Enciclopédia russa que depois foi recusado. (…) Benjamin foi dos poucos filósofos – talvez o único antes de Derrida – que soube transportar a dinamite das vanguardas para a prática da filosofia. Entre dezembro de 1926 e janeiro de 1927, ele empreendeu uma visita a Asja Lacis em Moscou – um fiasco do ponto de vista emocional e político. Seus Diários de Moscou podem ser lidos como um dos documentos mais pessoais que ele produziu. Nessa época, para se sustentar, conseguiu ser aceito como colaborador no Frankfurter Zeitung (importante publicação de caráter cultura da época, que tinha em seu centro a figura de Siegfried Kracauer) e na revista Literarische Welt. Vale lembrar que entre 1926 e 1929 Benj. publicou textos como o sobre Proust (<Para uma imagem de Proust>) e <História cultural do brinquedo>.

O compromisso de Benjamin com o surrealismo pode ser lido em seu ensaio particularmente profundo sobre o tema de 1927 (<O surrealismo>). Nesse ano, ele também conseguiu fazer algum dinheiro jogando roleta [!] (…) Em Paris, deu início ao seu maior e mais ambicioso projeto, que o acompanharia até 1940: as Passagens. (…) nunca foi concluído.”

a falta de perspectivas concretas de trabalho fez com que cedesse aos convites de Scholem para ir à Palestina. (…) Essa verba deveria financiar seus estudos de hebraico, preparatórios para a emigração – que na verdade nunca se concretizou.

Na carta que Benjamin enviou a Scholem em janeiro de 1930, mais uma vez postergando sua ida à Palestina, escrevendo sugestivamente em francês a um amigo com quem de resto só se correspondia em alemão, ele afirma que seu desejo é o de <ser considerado como o primeiro crítico da literatura alemã>. Para tanto, ele teria que refundar a crítica como gênero. (…) Mas apenas cerca de 30 a 40 anos após a sua morte é que ele foi reconhecido como esse crítico número um.”

Entre novembro de 1929 e janeiro do ano seguinte, Benjamin viveu com Aja Lacis em Berlim, cidade onde ele morava com sua esposa Dora, residindo ainda na casa de seus pais, a mansão na Delbrückstrasse, n. 23, em Grünewald, que fôra construída por sua família em 1912. Em 1930 ocorreu o divórcio do casal, que custou a Benjamin uma condenação penal a pagar uma altíssima indenização à sua ex-esposa. (…) <Não é fácil encontrar-se na soleira dos 40 sem posses e colocação, casa e patrimônio.>

Benjamin, nos anos 1930-31, fez uso várias vezes de haxixe. Essa prática deu-se no contexto de experimentos semelhantes feitos pelos surrealistas [Não pode ter sido recreativo?]. Ele, algumas vezes na companhia de Bloch, fazia anotações e era acompanhado por dois médicos durante essas experiências e caminhadas pelo <paraíso artificial>, lembrando a expressão de Baudelaire de 1860.”

B. encontrou um pouco de paz após mudar-se para um pequeno apartamento em Wilmersdorf, Berlim: a última vez que ainda pôde se ver rodeado pelos seus cerca de 2 mil livros. Em 1931, publicou seu belo texto <Desempacotando minha biblioteca>, uma profunda reflexão sobre livros e o colecionismo. (…) Em agosto, em meio a uma profunda depressão, escreveu um texto intitulado <Diário de 7 de agosto de 1931 até o dia da morte>. Esse diário foi apenas até 16 de agosto. Mas sua primeira frase é desencorajadora: <Este diário não promete ser muito grande>. Como antídoto à depressão (…), ele se ocupou em fazer uma coletânea de cartas de autores alemães, tentando assim mostrar uma espécie de outra tradição do pensamento alemão que não a que estava a ponto de desaguar em um tipo mortífero de nacionalismo. Essa coletânea de cartas, denominada de Deutsche Menschen [Pessoas alemãs], foi publicada em 1936 na Suíça sob o pseudônimo de Detlef Holz. Entre 1931 e 1932 essas cartas selecionadas – de autores como Goethe, Kant, Büchner, Hölderlin, F. Schlegel, , Baader – foram publicadas no Frankfurter Zeitung.”

B. – Pequena história da fotografia

_. – Crônica berlinense

_. – Infância em Berlim por volta de 1900

_. – Doutrina das semelhanças

_. – Sobre a faculdade mimética

Em julho, no Hôtel du Petit Parc, em Nice, B. planejou seu suicídio, tendo inclusive feito um testamento e escrito várias cartas de despedida.”

Existem lugares nos quais eu posso ganhar um mínimo, e outros nos quais eu posso viver de um mínimo, mas nem um único no qual as duas condições se encontram”

Ele escreveu também uma teoria do romance (claramente inspirada por Lukács): <À lareira> e <Experiência e pobreza>”

Horkheimer e Friedrich Pollack, como comenta Scholem, decerto incentivados por Adorno, concederam um auxílio regular a B. da parte do Instituto. A partir da primavera de 1934, ele passou a receber 500 francos (cerca de 300 euros hoje) por mês. Foi sua grande salvação na situação desesperadora em que se encontrava. [!]

(…) Para sobreviver, passou alguns meses com sua ex-esposa, Dora, em San Remo, onde ela abrira uma pensão (…) Em Paris, ele se reaproximara de sua irmã Dora, também vivendo naquela cidade, e se hospedou freqüentemente com ela. Em 1935, ele escreveu ensaios de grande envergadura e repercussão: <Paris, a capital do século XIX>, a 1ª versão de seu ensaio sobre as passagens, seu artigo sobre a obra de arte (…) <Eduard Fuchs, o colecionador e o historiador>

1936:

O narrador. Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov.

Esse ensaio dedica-se a uma reflexão sobre o fim da experiência, que por sua vez estaria na origem da crise da grande narrativa, diagnosticada como estando <em vias de extinção>.”

Em 1937 e no ano seguinte, B. continuou trabalhando no seu ensaio sobre Baudelaire, uma espécie de célula-mater do trabalho sobre as passagens. (…) Em 1938, concluiu o texto <A Paris do II Império em Baudelaire>, que após sofrer muitas críticas da parte de Adorno foi profundamente reelaborado no texto <Sobre alguns temas em Baudelaire>, de 1939. Em 1938, Benjamin encontrou-se regularmente com Bataille e Pierre Klossowski. (…) Durante esse período parisiense de exílio, B. também encontrou em algumas ocasiões Hannah Arendt, que deve ser lembrada como uma das primeiras a reconhecer o valor da sua obra. [Coincidentemente, a próxima na seqüência de leituras.]

O pacto de não agressão entre Hitler e Stalin de 23 de agosto de 1939 teve um efeito devastador sobre B. Esse descontentamento com a política se condensou no seu último texto, <Sobre o conceito da História>, de 1940, que pode ser considerado um dos documentos intelectuais mais impactantes sobre a vida dilacerada do século XX.

(…) Com o início da guerra em 1º de setembro, no dia 15 do mesmo mês ele foi enviado a um campo de trabalho em Nevers [sic – provavelmente, Nevres], na qualidade de alemão. Sua amiga Adrienne Monnier conseguiu libertá-lo em meados de novembro. A irmã tentou convencê-lo, sem sucesso, a emigrar para Londres. Graças à intervenção de Adorno, em meados de julho de 1940, B. finalmente conseguiu um visto para os EUA. Mas ele não obteve um visto para sair da França. O final da história é conhecido e se tornou uma espécie de marca que paira sobre B. e sua obra. (…) A verdade é que o suicídio, cometido em Portbou, após B. ter sido impedido de sair da França, é mesmo paradigmático. Foi realizado por um intelectual que de certa forma era um dos últimos grandes pensadores de ma tradição que foi condenada a seu fim com o nazismo.

* * *

Durer_diabo

B. nunca perde de vista a concepção grega das artes como tékhné, ou seja, como vemos no mito prometeico, uma tentativa, sempre ambígua, de <restituir ao ser humano uma totalidade>.” // Heidegger

August Sander (o maior fotógrafo retratista alemão, que publicou em 1929 seu Anlitz der Zeit [Rosto da época]).”

o enigmático, sinistro (Unheimlich), não cotidiano do cotidiano, criar uma aura para o habitual, trazer à consciência o invisível (meafísico, oculto) daquilo que parecia desaparecido.”

O elemento eminentemente ótico do modo de pensar e escrever de Kracauer, que também nesse ponto o unia a Benjamin, fica evidente nos textos de descrição e reflexão sobre a cidade, nos quais vemos como é possível filosofar a partir do gesto do andarilho ou do flâneur.”

É um gosto sublime sempre preferir as coisas elevadas à segunda potência. Por exemplo, cópias de imitações, julgamentos de resenhas, adendos a acréscimos, comentários a notas” Schlegel

a tentação não é pequena de substituir a data de 1900 pela de 2000”

Paradoxalmente, nas últimas duas décadas é a fotografia analógica que tem servido como um dos modelos do testemunho histórico” “<testemunho histórico> (geschichtliche Zeugenschaft). Temos de lembrar que zeugen, de onde deriva testemunhar em alemão, remete a gerar, procriar, reproduzir, ser pai.” “geramos sem a fecundação ao produzirmos robôs ou clones.”

diferentemente da maioria dos críticos da sociedade, Benjamin procura manter nesse ensaio uma visão positiva dos avanços da técnica. (Essa teoria da segunda técnica, ainda que sem a utilização desses termos, foi desenvolvida de modo cabal pelos últimos textos de Vilém Flusser, sobretudo em seu livro de 1985, O universo das imagens técnicas.)”

a relação entre a arte grega e os valores eternos – idéia essa que foi pela primeira vez formulada de modo acabado por Schiller em seu ensaio <Sobre a poesia inocente e a sentimental>, de 1795.

O fenômeno negativo, no avesso do qual se inscreve a arte da era dos choques, seria a aura. É interessante recordar que no século XVIII, em autores como Moses Mendelssohn, G.E. Lessing e Kant, o fenômeno negativo que era tomado como o oposto do que se considerava a arte então era o <asqueroso> (Ekel). Afirmava-se então também que o que provoca o asco nunca pode ser imitado e que o asqueroso, quando surge na arte, seria uma aparição direta da natureza.”

A arte aurática, que se ligava à falsa aparência” Relação direta com as páginas de Heidegger sobre Platão-Nie. que li ontem (9/4/17). “Mundo-verdade”

a flor azul (…) fusão com a natureza, fim da tristeza do estar no mundo.” Novalis – Heinrich von Ofterdingen, 1801.

Os cortes exigidos por Horkheimer e outros membros do Instituto tinham como justificativa o medo quanto à continuidade do financiamento da instituição, que havia se transplantado em parte para os EUA durante a II Guerra, e seus membros temiam trazer para si uma imagem radical de esquerdistas. O texto foi publicado em francês porque Horkheimer acreditou que as discussões levadas a cabo por Benjamin estariam mais inseridas no debate estético realizado então na França, onde Benjamin morava desde 1933”

Adorno cobra de Benjamin uma dialetização de uma série de conceitos, uma vez que ele discorda do olhar vanguardista e otimista de Benjamin diante do cinema e da segunda técnica. Apesar de Adorno criticar a influência de Brecht neste ensaio de Benjamin, o próprio dramaturgo não era um entusiasta deste trabalho.”

aprendemos a ver na arte um <buraco negro> que intensifica o tempo, concentrando-o em um agora diante de nossos olhos.”

* * *

Durer_melancolia

<Nem a matéria, nem o espaço, nem o tempo são há 20 anos aquilo que foram até então.> Paul Valéry: Pièces sur l’art (<La conquête de l’ubiquité>)”

Os gregos conheciam apenas dois métodos para a reprodução técnica de obras de arte: a fundição e a cunhagem. Bronzes, terra-cotas e moedas eram as únicas obras de arte que podiam ser criadas massivamente por eles. Todas as outras eram únicas e tecnicamente não reprodutíveis.” O Roberto Carlos

Com a xilogravura, as artes gráficas tornaram-se pela primeira vez tecnicamente reproduzíves; elas já o eram tempos antes de também a escrita sê-lo por meio da imprensa. São conhecidas as monstruosas modificações que a impressão – a reprodução técnica da escrita – provocou na literatura.”

Com a litografia, a técnica reprodutiva atinge um patamar fundamentalmente novo.”

as artes gráficas começaram a acompanhar o ritmo da impressão. Nisso, porém, já foram superadas, poucas décadas após a invenção da impressão sobre pedras, pela fotografia. Com a fotografia, a mão foi pela primeira vez aliviada das mais importantes obrigações artísticas no processo de reprodução figurativa, as quais recairiam a partir daí exclusivamente sobre o olho. Como o olho apreende mais rápido do que a mão desenha, o processo de reprodução figurativa foi acelerado de modo tão intenso que agora ele podia acompanhar o ritmo da fala. Se a litografia encerrava virtualmente o jornal ilustrado, também o cinema falado encontrava-se latente na fotografia. A reprodução técnica do som iniciou-se no final do século passado.”

No estúdio, o operador de câmera fixa as imagens, filmando-as na mesma velocidade em que o ator fala.”

Uma imagem medieval da Madonna ainda não era <autêntica> à época de sua criação; ela se o tornou no decorrer dos séculos seguintes, e talvez especialmente no século passado.”

A catedral deixa seu lugar para ser recebida no estúdio de um apreciador da arte; a música coral, que era executada em um salão ou ao ar livre, deixa-se apreciar em um cômodo.”

A mais miserável encenação provincial do <Fausto> tem em todo caso a vantagem, diante de um filme seu, de estar em concorrência ideal com a encenação original em Weimar.”

A significação social do filme, mesmo em seu aspecto mais positivo – e justamente nele –, revela-se impensável sem esse seu lado destrutivo, catártico: a liquidação do valor de tradição na herança cultural. Esse fenômeno é especialmente acessível nos grandes filmes históricos, de Cleópatra e Ben Hur [duas versões clássicas] a Fridericus e Napoleão.”

Abel Gance exclamou entusiasticamente em 1927: <Shakespeare, Rembrandt, Beethoven serão filmados… Todas as lendas, todas as mitologias e todos os mitos, todos os fundadores de religiões, e mesmo todas as religiões… aguardam sua ressurreição em celulóide, e os heróis precipitam-se aos portais> Abel Gance: Le temps de l’image est venu, in: L’art cinématographique II. Paris: 1927, pp. 94-96.”

Alois Riegl – Indústria artística do Império romano tardio, 1901.

Nada garante que um retratista contemporâneo, ao pintar um famoso cirurgião à mesa do café da manhã, rodeado pelos seus, atinge sua função social de modo mais certeiro que um pintor do século XVI que apresenta seus médicos representativamente ao público, como por exemplo Rembrandt em <Anatomia>.”

A remoção do objeto de seu invólucro, a destruição da aura, é a assinatura de uma percepção cujo <sentido para o idêntico no mundo> (Johannes V. Jensen) aumentou de tal modo que ela, por meio da reprodução, o extrai até mesmo do que é único. Revela-se, assim, no âmbito intuitivo, aquilo que na teoria se torna perceptível na crescente significação da estatística. O alinhamento da realidade com as massas e das massas com ela é um evento de alcance ilimitado, tanto para o pensamento quanto para a intuição.”

O essencialmente distante é o inaproximável. O inaproximável é de fato uma qualidade central da figura de culto. Ela permanece segundo sua própria natureza <distante, por mais perto que esteja>. A proximidade que se lhe pode alcançar em relação a uma matéria não interrompe a distância que ela conserva em sua aparição.”

o conceito de autenticidade não para jamais de tender a ultrapassar aquele da autêntica atribuição (Isso revela-se de modo especialmente claro no colecionador.): com a secularização da arte a autenticidade toma o lugar do valor de culto.”

O culto profuso à beleza, que se desenvolve na Renascença para manter-se em vigência por três séculos, revela nitidamente esses fundamentos após o término desse período, com o primeiro abalo mais intenso que sofreu: com o surgimento do primeiro meio de reprodução efetivamente revolucionário (simultâneo ao advento do socialismo), a fotografia, a arte sentiu aproximar-se a crise, reagiu com a doutrina do l’art pour l’art, que é uma teologia da arte. Desta surgiu por sua vez uma teologia negativa na forma da idéia de uma arte <pura> (Na poesia, Mallarmé foi o primeiro a alcançar essa posição.)”

<A bela arte (…) surgiu na própria igreja (…) embora (…) a arte já tivesse saído (com isso) do princípio eclesiástico.> (Hegel> Werke IX. Berlim: 1837, p. 414)”

Sabe-se, desde a investigação de Hubert Grimme, que a Madonna Sistina fôra pintada originalmente para fins expositivos. Grimme teve como ponto de partida para suas pesquisas a questão: o que faz ali o batente de madeira em primeiro plano na imagem, onde se apoiam os dois anjos? Como pôde, seguia perguntando Grimme, um Rafael chegar à idéia de equipar o céu com um par de cortinas? Dessa investigação resultou que a Madonna Sistina foi encomendada por ocasião do velório público do papa Sisto. O velório dos papas ocorria em uma capela lateral específica da basílica de São Pedro. O quadro de Rafael foi posicionado no velório solene, repousando sobre o caixão, numa espécie de nicho ao fundo dessa capela. Nas exéquias de Sisto, o quadro de Rafael encontrou uma aplicação extraordinária de seu valor de exposição. Algum tempo depois, ele foi para o altar-mor do mosteiro dos monges negros (beneditinos – N.T.) em Piacenza. A razão para esse exílio encontra-se no rito romano. O rito romano proíbe levar imagens expostas em cerimônias sepulcrais ao culto no altar-mor. A obra de Rafael foi em certa medida desvalorizada por meio desse regulamento. Para ainda assim obter um preço que lhe correspondesse, a cúria decidiu tolerar em silêncio a presença do quadro no altar. Para evitar a atenção, enviou-se o quadro à irmandade dessa província remota.”

O valor de culto enquanto tal tende justamente a manter a obra de arte oculta: certas estátuas de deuses são acessíveis somente ao sacerdote na cella” “A exponibilidade da pintura sobre madeira é maior do que aquela do mosaico ou do afresco que a antecederam.” “a sinfonia surgiu num momento em que sua exponibilidade prometia tornar-se maior do que a da missa.”

Brecht – Der Dreigroschenprozess (O processo dos três vinténs)

Em certo sentido, podemos considerar o ato máximo da primeira técnica como sendo o sacrifício humano; o da segunda encontra-se no horizonte dos aviões de controle remoto, que dispensam tripulação. A primeira técnica orienta-se pelo <de uma vez por todas> (nela trata-se do sacrilégio irreparável ou do sacrifício eternamente exemplar); a segunda, pelo <uma vez é nenhuma vez> (ela trata do experimento e das variações incansáveis dos procedimentos de teste). A origem da segunda técnica deve ser buscada onde o ser humano, com uma astúcia inconsciente, chegou pela primeira vez a tomar uma distância em relação à natureza.” “A primeira realmente pretende dominar a natureza; a segunda prefere muito antes um jogo conjunto entre natureza e humanidade. Isso vale sobretudo para o cinema.” “…quando a condição tiver se adaptado às novas forças produtivas desencadeadas pela 2ª técnica.” ILUSÃO

é a pessoa individual emancipada por meio da liquidação da primeira técnica que faz suas exigências. Mal a segunda técnica garantiu suas primeiras conquistas revolucionárias, as questões vitais do indivíduo – amor e morte – já exigem novas soluções. A obra de Fourier é o primeiro documento histórico dessa reivindicação.

atget cabaret au tambour

 

última trincheira: o semblante humano.” “O valor de culto da imagem encontra seu último refúgio no culto à rememoração dos entes queridos distantes ou falecidos.” “Onde o homem se retira da fotografia, o valor de exposição sobrepuja pela primeira vez o valor de culto. Ter dado a esse acontecimento o seu lugar é a significação incomparável de Atget, que registrou as ruas parisienses sob um aspecto despovoado por volta de 1900. Com muita razão disse-se dele que as fotografava como a uma cena de crime.” “provas indiciárias”

a legendagem – que claramente tem um caráter completamente distinto do título de um quadro – torna-se obrigatória pela primeira vez.”

Os gregos foram levados pelo estado de sua técnica a produzir valores de eternidade na arte. É a essa situação que eles devem seu lugar excepcional na história da arte” “Não há dúvida de que o nosso se encontre no pólo oposto ao dos gregos.” “o filme tornou crucial uma qualidade da obra de arte que teria sido a última a ser reconhecida pelos gregos, ou que, pelo menos, seria para eles a menos essencial de todas. É essa a sua capacidade de ser melhorado. O filme pronto é tudo menos uma criação de um lance” “Para realizar o seu filme Opinion publique, que tem 3 mil metros de comprimento, Chaplin filmou 125 mil metros. O filme é, portanto, a obra de arte mais passível de melhoria. E essa sua capacidade de ser melhorado está ìntimamente ligada a sua recusa radical do valor de eternidade.” “contraprova: o ápice de todas as artes encontrava-se na arte menos passível de melhoria – a saber, a escultura, cujas criações se fazem literalmente a partir de uma peça. A decadência da escultura na era da obra de arte montável é inevitável.”

A disputa travada no decorrer do século XIX entre a pintura e a fotografia acerca do valor artístico de seus produtos parece-nos hoje absurda e confusa.” “Embora já se tivesse gasto muita perspicácia em vão na resolução da questão de se a fotografia é uma arte – sem ter se colocado a pergunta anterior: se, por meio da intervenção da fotografia, o caráter geral da arte não foi modificado –, os teóricos do cinema logo assumiram o mesmo questionamento precipitado.” Resposta tardia: não é que o videogame não seja uma arte, é que não há mais “arte”.

Filme “Sonho de uma noite de verão” de Reinhardt

O filme (…) dá (ou poderia dar) explicações úteis sobre as ações humanas em detalhe (…) Toda motivação do caráter cessa, a vida interior das pessoas jamais dá a causa principal e é raramente o resultado principal da ação” Brecht, I, c., p. 268. “Assim, a significação do teste de proficiência cresce constantemente. No teste de proficiência trata-se de recortes da performance do indivíduo.”

O ator de cinema distingue-se do ator teatral pelo fato de sua performance artística, em sua forma original, a partir da qual se realiza a reprodução, não ocorrer diante de um público aleatório, mas diante de um comitê de especialistas, os quais, na qualidade de diretor de produção, diretor, operador de câmera, engenheiro acústico, iluminador, etc., podem tomar a todo tempo a atitude de interferir em sua performance artística.” “a interferência de um comitê especializado em uma performance artística é também característica de performances esportivas e, num sentido mais amplo, dos procedimentos de teste em geral.” “O esportista conhece, em certo sentido, apenas o teste natural.” Não o do atletismo pós-moderno ou participante de jogos individuais (exceto tênis?). Trabalho como performance: o cume do idiótico. “Nurmi, corredor finlandês que quebrou diversos recordes mundiais nos anos 1920.”

Atuar sob a luz do holofote atendendo ao mesmo tempo às condições impostas pelo microfone é uma performance de teste de primeira linha. Realizá-la significa conservar a sua humanidade diante da aparelhagem. O interesse nessa performance é enorme. Pois, tanto nos escritórios quanto nas fábricas, é diante de um aparato que a grande maioria da população urbana deve, ao longo da jornada de trabalho, renunciar à sua humanidade.” Eu, DiCaprio – Mas como é para o próprio proletário DiC.?

Pirandello – Cadernos de Serafino Gubbio Operador

Observadores especialistas reconheceram já há bastante tempo que na atuação para o cinema <quase sempre os maiores efeitos são atingidos ao ‘atuar-se’ o mínimo possível (…)>.”

a tentativa de deixar o ator atuar sem maquiagem, como o fez, entre outros, Dreyer, em seu Jeanne D’Arc. Ele passou meses escolhendo os 40 atores que comporiam o tribunal inquisitório. A busca por esses atores era como procurar um objeto de cena raro. Dreyer despendeu grandes esforços evitando a semelhança de idade, de estatura, de fisionomia entre esses atores.” “Um relógio em funcionamento será sempre um estorvo no palco. Ali, o seu papel de medir o tempo não tem lugar. Mesmo em uma peça naturalista, o tempo astronômico também colidiria com o cênico.”

a arte remove <a aparência e o engano deste mundo ruim e passageiro> do <verdadeiro conteúdo das aparições> (Hegel)”

A bela aparência como efetividade aurática, por outro lado, preenche ainda completamente a obra goethiana. Mignon, Ottilie e Helena têm parte nessa efetividade.”

O modo de agir do diretor que, para gravar o susto da pessoa representada, causa experimentalmente um susto real em seu ator é completamente justo cinematograficamente.” “Estrelas de cinema não são quase nunca atores excepcionais quando se trata do palco. Pelo contrário, são na maioria das vezes atores de segundo ou terceiro escalão, para os quais o cinema abriu uma grande carreira. E, por sua vez, são raramente os melhores atores de cinema que tentam passar do filme ao palco” “O típico ator de cinema representa apenas a si próprio. Ele opõe-se ao tipo do mímico.”

aparência e jogo (Schein und Spiel)” “autoalienação (Selbstentfremdung)“alienação (Befremdung)” “do mesmo tipo que a alienação do ser humano diante de sua aparição no espelho, na qual os românticos tinham gosto em demorar-se.”

nova seleção, uma seleção diante da aparelhagem, da qual o campeão, a estrela e o ditador emergem como vencedores.” Marilyn Federer the Hitler

Se há tantas versões e nunca nos decidimos pela melhor, isso quer simplesmente dizer: texto mal-redigido.

Na solidariedade da luta de classes proletária apaga-se a oposição morta, não dialética, entre indivíduo e massa; ela não se mantém para companheiros.” “A luta de classes afrouxa a massa compacta dos proletários; a mesma luta de classes, porém, comprime a da pequena burguesia. A massa impenetrável e compacta, que Le Bon e outros tornaram o objeto de sua <psicologia de massas>, é a pequeno-burguesia. A pequeno-burguesia não é uma classe; ela é de fato apenas massa, e uma massa tanto mais compacta quanto maior a pressão que sofre entre as duas classes hostis da burguesia e do proletariado.” #Pérolas

as manifestações da massa compacta trazem consigo sempre um traço de pânico – estejam expressando o entusiasmo com a guerra, o antissemitismo ou o impulso de autopreservação.”

Wertoff – Três canções para Lenin

Ivens – Borinage

O INGÊNUO: “a diferença entre o autor e o público está a ponto de perder o seu caráter fundamental.” “A competência literária não depende mais da formação especializada, mas da politécnica, tornando-se propriedade comum.” Na verdade, não depende nem daquilo, nem disso.

O talento artístico, porém, é algo bastante raro; disso segue (…) que a todo tempo e em toda parte a porção preponderante da produção artística tenha sido medíocre. Hoje, porém, a porcentagem de lixo no conjunto da produção artística está maior do que nunca” Aldous Huxley

diferentemente do mago (que ainda se encontra oculto no clínico geral), o cirurgião se abstém, no momento decisivo, de confrontar o seu paciente face a face; ao contrário, ele penetra-o de modo operativo. – Mago e cirurgião relacionam-se como pintor e operador de câmera.” “As audácias do operador de câmera são de fato comparáveis às do operador cirúrgico.” Forçação. “um caso da otorrinolaringologia; refiro-me ao assim chamado método perspectivo endonasal; ou remeto também às proezas artísticas acrobáticas, as quais, guiadas pela imagem invertida do espelho laringeal, devem realizar a cirurgia de laringe; também poderia falar da cirurgia de ouvido, que lembra o trabalho preciso de relojoeiros. Que rica gradação da mais sutil acrobacia muscular não é exigida do homem que quer consertar ou salvar o corpo humano! Pense-se na operação de catarata, na qual pode-se dizer que há uma disputa do aço com tecidos praticamente líquidos, ou nas significativas incursões na cavidade abdominal (Laparotomia).” Luc Durtain: La technique et l’homme, in: Vendredi, 13 de março de 1936, n. 19.

O comportamento mais reacionário – diante de um Picasso, por exemplo – torna-se altamente progressista em face de um Chaplin.” “quanto mais a significação social de uma arte é reduzida – como pode ser comprovado claramente no caso da pintura –, mais se distanciam mutuamente os comportamentos crítico e usufruidor do público. O convencional é usufruído àcriticamente; o efetivamente novo é criticado a contragosto. Mas não no cinema [ainda?].” “A pintura sempre foi apropriada à contemplação exclusiva de um ou de poucos. A contemplação simultânea de pinturas por um grande público, surgida no século XIX, é um sintoma precoce da crise da pintura” “Leonardo compara a pintura e a música com as seguintes palavras: <A pintura é superior à música pois não precisa morrer no momento em que é chamada à vida, como é o caso da música infeliz (…) A música, a qual se volatiliza assim que surge, é inferior à pintura que, com o uso do verniz, se torna eterna.> (Leonardo da Vinci: Frammenti letterarii e filosofici apud Fernand Baldensperger: Le raffermissement des techniques dans la littérature occidentale de 1840, In: Revue de Littérature Comparée, XV/I. Paris: 1935, p. 79, nota I).” “Igualmente, o mesmo público que reage de maneira progressista diante de uma comédia burlesca deve tornar-se reacionário diante do surrealismo.” O livro jamais “entrará em crise”?

Um ato falho em uma fala passava há 50 anos mais ou menos despercebido.”

Nossos botequins e avenidas, nossos escritórios e quartos mobiliados, nossas estações de trem e fábricas pareciam fechar-se em torno de nós de maneira desesperadora. Então veio o filme e mandou esse calabouço pelos ares com a dinamite do décimo de segundo” [?] “tampouco a câmera lenta traz à percepção padrões de movimento conhecidos, mas descobre, nesses movimentos conhecidos, outros completamente desconhecidos, <que não dão de modo algum a impressão de serem a desaceleração de movimentos mais rápidos, mas de estarem deslizando, singularmente flutuantes, de modo sobrenatural> (Rudolf Arnheim).” “Somente por meio da câmera chegamos a conhecer o inconsciente óptico, assim como conhecemos o inconsciente pulsional por meio da psicanálise.” “Muitas das deformações e estereótipos, das metamorfoses e catástrofes que afetam o mundo da óptica nos filmes encontram-se de fato em psicoses, alucinações e sonhos.” “O filme abriu uma brecha naquela antiga verdade heraclítica, segundo a qual os acordados têm o seu mundo em comum, e os dormentes têm cada um um mundo para si. E o fez muito menos apresentando o mundo do sonho do que criando figuras do sonho coletivo, como o mundialmente famoso Mickey Mouse.” “um desenvolvimento forçado de fantasias sádicas ou de alucinações masoquistas pode impedir o seu amadurecimento” Aristóteles – O Retorno “A risada coletiva proporciona a erupção precoce e salutar de tal psicose de massas.” Comédia e terror encontram-se, como revelam as reações de crianças, em proximidade estreita.” “O que se revela nos mais novos filmes da Disney já está, de fato, dado em alguns dos mais antigos: a tendência a aceitar confortavelmente a bestialidade e a violência como aparições que acompanham a existência.” “os Hooligans dançantes que encontramos em imagens de pogroms medievais, e o conto <A chusma>, dos irmãos Grimm, constitui a sua lívida e incerta retaguarda.” [?]

antes do surgimento do filme havia pequenos livros de fotos cujas imagens, passando rapidamente diante dos olhos do observador por meio de um movimento do polegar, exibiam uma luta de boxe, ou uma partida de tênis; havia os autômatos nos bazares ou passagens, em que um giro de manivela mantinha em movimento uma sequência de imagens.” “O vazio pode ser agradável em uma galeria de arte, mas não pode mais sê-lo no Kaiserpanorama, e de modo algum no cinema. Mas no Kaiserpanorama – como na maioria das galerias de arte – cada um ainda tem a sua própria imagem.” “Esse público era posto diante de um biombo, onde eram instalados estereoscópios, um para cada espectador. Diante desses estereoscópios apareciam automaticamente imagens singulares, que duravam pouco tempo para então dar lugar a uma outra. Edison precisou ainda trabalhar com meios semelhantes para executar o primeiro rolo de filme – antes de a tela de cinema e a técnica da projeção serem conhecidas – diante de um pequeno público que mirava dentro do aparato onde a seqüência de imagens se desenrolava.” “As extravagâncias e cruezas da arte que desse modo ocorrem nos assim chamados períodos de decadência originam-se, em verdade, de seu centro de força histórico mais rico. O dadaísmo teve ainda recentemente sua alegria em tais barbarismos. Seu impulso torna-se recognoscível apenas agora: o dadaísmo tentava obter com os meios da pintura (ou literatura) os mesmos efeitos que o público busca hoje no filme.” “Os dadaístas davam muito menos peso à valorização mercantil de suas obras do que a sua inutilidade enquanto objetos de imersão contemplativa. A degradação generalizada de seu material era um dos principais meios pelos quais buscavam atingir essa inutilidade. Seus poemas são <saladas verbais>; eles contêm expressões obscenas e todo lixo lingüístico imaginável.” Quão vanguardista, sr. Benjamin! “aniquilação indiscriminada da aura”

Jean-Hans_Arp

 

É impossível dar-se tempo para se concentrar e tomar uma posição diante de um quadro de Arp ou um poema de August Stramm da mesma maneira que diante de um quadro de Derain ou de um poema de Rilke. À imersão – que se tornou, com a decadência da burguesia, um exercício de comportamento associal – opõe-se a distração como uma espécie de jogo com o comportamento social.” “incitar a irritação pública. § Com os dadaístas, em vez de uma aparência atraente ou de uma construção tonal convincente, a obra de arte tornou-se um projétil. (…) O filme libertou de sua embalagem o efeito de choque físico que o dadaísmo ainda mantinha envolto no choque moral.

Derain

Também Riegl corrigiu esse termo nas edições seguintes de sua obra, substituindo <tático> (taktisch) por <tátil> (taktil).”

Eu já não posso mais pensar o que quero. As imagens movimentadas suplantam meus pensamentos” Georges Duhamel, Scènes de la vie future. Paris: Mercure de France, 2ª ed., 1930, p. 52. “Duhamel chama o filme de <um passatempo para hilotas, uma dispersão para criaturas ignorantes, abjetas, exauridas pelo trabalho, que são despidas de suas preocupações (…), um espetáculo que não exige nenhuma concentração, que não pressupõe nenhuma faculdade intelectual (…), que não acende nenhuma luz no coração e que não desperta nenhum outro tipo de esperança a não ser aquela ridícula de um dia tornar-se uma ‘estrela’ em Los Angeles.>”

Assim como para o dadaísmo, o filme oferece também para o cubismo e para o futurismo importantes conclusões. Ambos surgem como tentativas deficitárias da arte de dar conta da penetração da realidade com a aparelhagem.” “o pressentimento da construção dessa aparelhagem – que se baseia na óptica – tem um papel predominante no cubismo: no futurismo predomina o pressentimento dos efeitos, que entram em vigência com o rápido desenrolar da película.”

Construções vêm acompanhando a humanidade desde sua pré-história. Muitas formas de arte surgiram e desapareceram. A tragédia surge entre os gregos para apagar-se com eles e renascer depois de séculos. A epopéia, cuja origem está na juventude dos povos, apaga-se na Europa com o fim da Renascença. A pintura sobre madeira é uma criação da Idade Média, e nada lhe garante uma duração ininterrupta. A necessidade humana de moradia, porém, é constante.”

A recepção tátil ocorre mais por meio do hábito que pela atenção.” “a capacidade de resolver certas tarefas na dispersão indica que essa solução se tornou hábito.”

O fascismo caminha diretamente em direção a uma estetização da vida política. Com D’Annunzio a decadência penetrou a política; com Marinetti, o futurismo; e com Hitler, a tradição de Schwabing. § Todos os esforços para estetizar a política culminam em um ponto. Esse ponto é a guerra. A guerra, e somente a guerra, possibilita dar uma finalidade a grandes movimentos de massa sob auspício das relações de posse tradicionais.”

No lugar de usinas de força a guerra coloca em ação a força humana, na forma de exércitos. No lugar do trânsito aéreo, ela instaura o trânsito de balas, e na guerra química ela tem um novo meio para extirpar a aura. § Fiat ars – <pereat mundus>, diz o fascismo”

A humanidade, que em Homero fôra um dia objeto de contemplação para os deuses olímpicos, tornou-se objeto de sua própria contemplação. Sua autoalienação atingiu tal grau que se lhe torna possível vivenciar a sua própria aniquilação como um deleite estético de primeira ordem.” Conceito-engodo: o “querer-morrer”, o deixar malograr a parte podre, não pode ser entendido pela dialética.

Veredito: tradução bem aquém da primeira lida.

atget1

* * *

ANEXO A – Esboços de Benjamin

Nada é mais corrente ao teste em sua figura moderna do que medir o ser humano com uma aparelhagem.” Rocky IV – Ironia Comunista – Drogo, a Máquina

O gesto de Chaplin não é efetivamente cênico. Ele não teria sido capaz de se sustentar no palco. [!!!] (…) ele monta o ser humano no filme a partir de sua gesticulação (…) ele decompõe a movimentação expressiva humana em uma seqüência das mais mínimas enervações. Cada um de seus movimentos constitui-se de uma seqüência de partículas picadas de movimento.” “Sobre o que repousa então a comicidade desse comportamento?”

Dentre todas as artes, o teatro é a menos acessível à reprodução mecânica, quer dizer, à estandardização: por isso as massas afastam-se dele. Da perspectiva histórica, o mais importante da obra de Brecht talvez seja a sua produção dramática, a qual permite ao teatro assumir sua forma mais sóbria e modesta, e mesmo mais reduzida, para nela hibernar.” O mesmo erro de Leonardo: apólogo barato do próprio tempo.

Nietzsche reivindicou uma medida de valor moral própria para cada indivíduo. Esse ponto de vista encontra-se fora de curso; ele é infrutífero sob as relações sociais dadas.” “onde antes a exemplaridade era exigida moralmente, o presente exige a reprodutibilidade.”

Qual a situação de nossas construções atuais? Elas tornaram-se, como é possível reconhecer nas grandes cidades, suportes de reclames.” “Não há, diante do cartaz, como havia perante o ídolo, nem amigos da arte, nem ignorantes.”

Duchamp não pode ser identificado com nenhum tipo de escola. Ele era próximo do surrealismo, é amigo de Picasso, embora sempre tenha permanecido em isolamento.” “La Mariée mise à nu par ses Célibataires (…): assim que um objeto é visto por nós como uma obra de arte, ele não pode mais absolutamente figurar enquanto tal. (…) o ser humano contemporâneo pode experimentar o efeito específico da obra de arte muito mais em objetos desengajados (quer dizer, retirados de seu contexto funcional) do que em obras de arte renomadas.”

fenômenos da decadência (Entartungserscheinungen).”

A história da arte é uma história de profecias.” “É a tarefa mais importante da história da arte decifrar, nas grandes obras do passado, as profecias em vigência na época de sua concepção.”

Kinematograh mit optischem Ausgleich der Bildwanderung (Cinematógrafo com compensação ótica do movimento imagético) de August Musger, um aparelho que servia simultaneamente como câmera e como projetor e que foi o primeiro a possibilitar a gravação e reprodução de cenas em câmera lenta.”

Aquilo que surgiu no filme mudo como <música de acompanhamento> era – do ponto de vista histórico – a música que aguardava – <fazia fila> – diante dos portões do filme. (…) tanto um hit quanto uma sonata de Beethoven podem, enquanto tais, ser montados na ação do filme.” Mas a melhor música de acompanhamento, ironicamente, é justo a música clássica, a “única música” anterior ao filme!

Sade e Fourier têm em vista a efetivação imediata da vida humana feliz. Em oposição a isso, vê-se esse lado da utopia retroceder na Rússia. (Não é por acaso que as expedições ao Ártico e à estratosfera pertencem aos primeiros grandes feitos da União Soviética pacificada.)”

É sabido que Schiller deu um lugar privilegiado ao jogo em sua estética, enquanto a estética de Goethe é determinada por um interesse passional pela aparência.”

a invenção da arte da impressão levou à liberdade de imprensa. Hoje as invenções técnicas são meios de uma dominação monstruosa das massas; ao rádio pertence o monopólio radiofônico, ao filme a censura cinematográfica.” Carl Schmitt – palestra “Sobre a era das neutralizações e despolitizações”, em 1929.

Duchamp_legrandverre

* * *

ANEXO B – Carta de Adorno

O senhor sabe que o objeto <liquidação da arte> encontra-se há muitos anos subjacente a meus ensaios estéticos, e que a ênfase com a qual defendo o primado da tecnologia, acima de tudo na música, deve ser compreendida estritamente nesse sentido e no de sua segunda técnica.”

Adorno devia ser mais chato que o Prof. Edson pessoalmente.

Cf. Adorno, <Der Dialektische Komponist> (<O compositor dialético>), publicado em Viena, em 1924, e posteriormente incluído no volume de Adorno, Impromptus. Frankfurt a. M.: Suhrkamp, 1968.”

Por mais dialético que seja o seu trabalho, ele não o é em relação à própria obra de arte autônoma; ele ignora a experiência elementar (…) a suprema conseqüência na observância da lei tecnológica da arte autônoma a modifica, aproximando-a, no lugar da tabuização e da fetichização, do estado de liberdade daquilo que é conscientemente confeccionável, realizável.” “Ninguém poderia estar mais de acordo com o senhor do que eu, quando salva o filme kitsch em face do filme <de nível>; a l’art pour l’art, porém, seria igualmente carente de salvação”

O senhor fala do jogo e da aparência como os elementos da arte; mas nada me diz por que o jogo deveria ser dialético, e a aparência não. Pois dialetizar a tecnicização e a alienação, mas não o mundo da subjetividade objetivada, significa politicamente nada mais do que confiar imediatamente ao proletariado um desempenho que este, segundo a sentença de Lenin, não pode realizar senão por meio da teoria dos intelectuais como sujeitos dialéticos, que pertencem à esfera da obra de arte relegada ao inferno pelo senhor.”

a teoria da reprodução musical, planejada há anos por mim e por Kolisch (esse trabalho que Adorno planejou realizar com o violinista Rudolf Kolisch (1896-1978) nunca se concretizou. – N.R.)”

assim como a reificação do cinema não está totalmente perdida, tampouco a da grande obra de arte; e, enquanto seria uma atitude burguesa reacionária negar aquela primeira reificação a partir do ego, revogar essa segunda, no sentido do valor de uso imediato, beiraria o anarquismo. Les extremes me touchent, assim como ao senhor: mas apenas quando a dialética do mais elevado é equivalente à do mais rebaixado, e não simples deterioração. (…) sacrificar uma em favor da outra seria romântico; seja como romantismo burguês na conservação da personalidade e de todo encanto desse tipo, seja como romantismo anárquico na confiança cega no autodomínio do proletariado no processo histórico – do proletariado, o qual é ele mesmo produzido de forma burguesa. Devo acusar, de certo modo, o trabalho do segundo romantismo.”

Nada mais reacionário que um sábio comunista. O trabalho do negativo?

O riso do público no cinema não é absolutamente bom e revolucionário, mas cheio do pior sadismo burguês; o caráter de especialista dos jovens jornaleiros que discutem acerca do esporte me é altamente duvidoso; e, por fim, a teoria da dispersão, apesar de sua persuasão sob a forma do choque, não me convence.” “que o reacionário se torne um vanguardista perante o filme chapliniano – isso me parece igualmente uma completa romantização”

O senhor subestima a tecnicidade da arte autônoma e superestima a da arte dependente”

tampouco escaparemos das antigas tabuizações somente ao nos envolvermos com outras, novas. A finalidade da revolução é a abolição do medo. Por isso não precisamos ter medo dela, e nem ontologizar nosso medo.”

Trata-se de um veredito completo sobre o jazz, na medida em que particularmente seus elementos <progressistas> (aparência de montagem, trabalho coletivo, primado da reprodução perante a produção) são revelados como fachadas para um elemento que na verdade é totalmente reacionário. Creio que logrei decifrar efetivamente o jazz e determinar sua função social.”

Der liebe Gott wohnt im Detail [O bom Deus mora no detalhe]” Aby Warburg

as poucas sentenças acerca da desintegração do proletariado como <massa> por meio da revolução contam dentre o que há de mais profundo e poderoso que jamais encontrei em termos de teoria política desde que li Estado e Revolução [Lenin, 1917].” Faz aquela média covarde no final.

PETIT COURS DE SCIENCES… Pour ceux qui n’y comprennent rien – Natalie Angier

Traduction française par Julien Randon-Furling

24/02/15 – 22/12/15

DIC – échouer: falhar

         cellule souche: célula-tronco (“toco”, literalmente)

         boucle: brinco, argola; cacho. Destarte: Boucle d’Or – Cachinhos Dourados.

         foudroyant: full-minante! louco-gata-contra

         paratonnerre: pára-raio

         sous-jacente (não é o dinheiro que jaz!)

mon for intérieur” que bom que não é seu after extérieur ou seu five!

A pronúncia de “Liszt” é mesa em determinada língua

         pile: pilha

         bégayer: gaguejar; balbuciar; travar.

         grain de beauté: sinal na pele

         échelle: escala; escada.

lembrete: 1 billion = 1 trilhão!

         dette publique: dívida pública

         roue: roda

les cheveux des chevaux dans le chevrolet

         moquette: carpete

         amincissant: emagrecedor

         caoutchouc: borracha

         orage: tempestade

         chiche: sovina, avarento

         our de peluche

qui est ceux qui a ce ki?

         cholestérol

         couvercle: tampa

         allumette: isqueiro

         glucose

Em Francês, “filme de horror B” é chamado, no lugar, de “film d’horreur de série Z”.

         tamanoir: tamanduá!

         épais: grosso

Premièrement,

Deuxièmement…

gencives qui saignent”

chien de combat”

c’est notre b-a ba quotidien”

Les signes du zodiaque (quelques uns): Taureau, Gémeaux, Balance…

l’épreuve du temps”

mâle x femelle

J’ai de la foi, toutes les fois, dans mon foie.

des cellules nucléées”

         trous noirs: matéria escura

Ouais, bon, on choisit pas ses parents”

A defesa do indefensável. A apologia do “nerd” como se fosse sinônimo de científico – um dos erros mais primatas. Na realidade, o cientista é absolutamente inábil porque é um nerd, quando o é. Não inábil para a ciência, mas para a vida, ou seja…

Tchik, tchik, tchik…” tsc, tsc, tsc

Malgré les annés d’inflation, le 4 conserve, dans la mémoire collective, sa place de note standard en chimie.”

Seuls 7% trouvaient que les scientifiques étaient des gens <cools> et quand on leur demandait de choisir le scientifique le plus célebre dans une liste incluant Albert Einstein et Isaac Newton, beaucoup d’entre eux choisissaient Christophe Colomb.”

Aviso para usuários de transportes na França: “ATTACHEZ VOTRE CEINTURE”.

Por enquanto “só” atacou Proust e a astrologia.

HAUSSE

BAISSE

tecnocrata descarada

xenófoba

Critica os EUA mas, como eles, não considera a História ou a Sociologia integrantes desta seleta audiência de cérebros chamada Academia. É uma fervorosa adepta da Engenharia, ainda que não saiba vestir um simples capacete-de-obra. N’est pas son métier, elle est écrivain!

Un écrivain est quelqu’un pour qui écrire est plus difficile que ce ne l’est pour les autres.” Thomas Mann

Quand je rentre déjeuner à la maison après avoir passé la matinée à écrire, ma femme dit que j’ai l’air de revenir d’un enterrement” Carl Hiaasen, escritor de romances humorísticos “Quando volto pra casa pra almoçar depois de escrever a manhã toda, minha mulher diz que tenho a cara de quem acaba de sair dum enterro”

l’écriture, ce processus douloureux, la transformation d’expériences tridimensionnelles traitées en temps réel en un récit linéaire bidimensionel. C’est pire que la quadrature du cercle, c’est la quadrature de la sphère.” Susan Hockfield

UNE VITE BLAGUE

Heisenberg doit donner une conférence au MIT mais il est en retard et roule à vive allure dans les rues de Cambridge avec sa voiture de location. Un policier l’arrête et lui dit: <Vous avez une idée de la vitesse à laquelle vous rouliez!?> Et H. de répondre: <Non, mais je sais exactement où je me trouve!>.”

Parcourez un manuel scolaire ou un site educatif et des mots en gras [lit. engorduradas; polpudas; em negrito] vous sautent aus yeux.”

O mundo é como o quarto de um adolescente: tem de tudo.”

Tu es poussière et tu retourneras à la poussière – poussière d’étoile.”

Uma das inimitáveis pérolas desta vencedora do Pulitzer: “Une autre méthode cent pour cent garantie pour changer votre vision du monde est d’investir dans un microscope.”

la chose la plus étonnante concernant l’Univers est qu’il soit susceptible d’être compris” Kant

Em princípio, toda equação pode ser expressa por uma frase” Brian Greene – mas atenção: o inverso não se aplica.

même si vous ne déchiffrez pas les chiffres, vous pouvez comprendre ce qu’ils nous disent de l’Univers.”

Arrivé à la trentaine, le cerveau a pris position”

Je peux faire mes comptes si j’ai une calculette”

vous pouvez demander qu’il vous soit servi saignant, à point ou bien cuit”

Je pense donc je suis celui qui a raison”

la théorie des origines de l’Univers, universellement acceptée chez les astronomes”

professeur émérite, un âge de la vie que certains appellent la <philopause>.”

J’entends déjà Stephen Jay Gould bougonner depuis l’au-delà: les dinosaures sont un cliché.”

No presente, a exceção que confirma a regra: “nonobstant Stendhal, les hommes qui portent une barbe optent généralement également pour la moustache.”

Detesto todas as premissas a que a autora chega. Até me impressiono com a baixa probabilidade que isso tinha de acontecer com tamanha insistência. Com a mesma com que se recusam a dar Nobéis e Oscars a brasileiros.

Votre professeur vous hait!”

Je vous parie, dit’elles, qu’au moins 2 personnes dans cette salle ont le même jour d’anniversaire.” E qual é a probabilidade da sua primeira namorada nascer no dia do seu aniversário, mesmo sendo mais velha?

aux États-Unis, 35 pour cent des personnes n’ayant pas terminé le lycée sont fumeurs, alors que seuls 14 pour cent des diplômés de l’enseignement supérieur le sont.” “la nicotine, composé qui détend [descontrai] et stimule à la fois, est exactement le genre de drogue à double face que les dépressifs recherchent?”

GYN-écologie”

l’immeuble dans lequel nous vivions a été démoli et remplacé par un parc de stationnement”

90% d’entre nous sont droitiers”

Quand le gens me demandaient, au vu de mon nom de famille, si j’étais française, je répondais: pas dernièrement, et j’explicais que la famille Angier était venue d’Anglaterre em Amérique au XVIIe siècle et, tant que j’y étais, j’ajoutais une référence au lien héraldique me rattachant à la fondation de notre nation”

Contrairement au mythe, le temps ne passe pas particulièrement vite après la mort.”

L’empereur Charlemagne [Carlos Magno!] décréta ainsi au IXe siècle que la longueur de son pied serait désormais la longueur du pied” “3 siècles plus tard, le roi Henry Ier d’Anglaterre décida que le yard serait égal à la distance entre son nez et le bout de son annulaire, bras tendu.”

<mile> vient du latin milia passuum

j’ai la vague impression, bien que celle-ci ne repose sur rien de concret, que ce qui empêche vraiment l’Amérique (sic) de passer au mètre, c’est le terrain de football américain, avec le sacro-sant quantum de la ligne des 10 yards.” L’Amérique pour les gros américains!

Quelle taille pour Ebola, et combien peut-on en faire danser sur la tête d’une épingle?”

un millionième de milliardième de milliardième de seconde”, c’est “le temps qu’il faut à la lumière pour traverser un proton” <Les gens disent: C’est ridicule!> et je dis: Oui!”

Continuez à manger la moitié droite du champignon d’Alice”

notre Terre, si indomptable qu’elle puisse paraître, n’a effectué que 5 fois 109 révolutions autour du Soleil durant ses 5 milliards d’années d’existence”

Les évenements le plus courts que les scientifiques peuvent chronométrer se mesurent em attosecondes. Il faut 24 attosecondes à un électron pour accomplir une révolution autour du noyau d’un atome d’hydrogène – un voyage que l’électron effectue 40.000 billions [40 quadrilhões, 4×1016] de fois par seconde. Il s’écoule plus d’attosecondes en une minute qu’il ne s’est écoulé de minutes depuis la naissance de l’Univers.”

Um comentário por incrível que pareça dentro de contexto: a vida é essa eterna procura por aquilo que nos aflige e nos atormenta, porque senão não valeria a pena, não teria graça, eu não seria produtivo, não chegaria aos meus picos de criação. Seja diante de lívidas frutinhas – cuja falsidade não me engana – ou da conivência da patota galhofeiro-altruísta-dietético-cosmética. Falo mal pelas costas, como pela frente – Ecce Ratus!

Finnegans Wake – Titre d’un roman de J.J., réputé illisible, traduit en français sous le même titre en 1982, soit 43 ans après sa parution. C’est dans ce livre qu’on trouve la fameuse expression < Three quarks for Muster Mark >, à l’origine de la dénomination < quark > en physique des particules.” “Bien que l’intention problable de Joyce ait été de faire rimer < quark > avec Mark et bark, le nom de cette particule subatomique est souvent prononcé [en anglais, N.d.T.] kwôrk, ce qui se trouve également être la prononciation du nom d’un fromage crêmeux et légèrement acide très apprécié en Allemagne.” “Considérons le temps terrestre, qui est justement ce que Joyce décrivait comme un < riverrun, past Eve and Adam’s >. Si vous avez tout le temps du monde, combien de temps auriez vous? Les créationistes, en compulsant les pages de la Génèse, des Galates et autres sources bibliques et en comptant les < engendra >, s’écrient: < 6 mille ans! >.” É impressionante e ingênuo como podem pensar que a terra é tão velha – cientificamente, ainda por cima! A Terra sou eu e esta caneta, nada mais. A Terra é quantas vezes na vida saímos para trabalhar ou ir à escola. (200×30) “À peine entrée dans l’adolescence le Terre a fait ce qu’une adolescent ne devrait pas faire: elle a donné naissance aux premières formes de vie.” E como poderiam pensar que estamos no último capítulo de qualquer coisa que seja – quanta petulância! Mania de época. Há dois séculos que a Humanidade está de TPM. “depuis que le Big Bang a donné le coup d’envoi de tout ce qui existe.” Há alguns bilhões de anos nasceu o tempo. E ainda chamam de ciência!

William Blake de novo (Shaw).

La Nature, il semble, adore le vide.” “Mais entre notre noyau Wilson (marque de ballons de basket)(…)”

Pourquoi le ciel est-il bleu?” – Voyez http://xfilesfiles1.zip.net/arch2006-12-17_2006-12-23.html, 20/12/06.

Leon Ledermann possède cette chevelure blanche quasi fluorescente qu’arborent souvent les grandes figures de la physique.”

La mutualisation d’électrons tend à renforcer les liaisons entre atomes, et c’est ce qui confère aux métaux leur solidité légendaire et leur utilité historique dans l’armée.”

L’utilisation constante et peu rigoureuse du terme <électricité> IRRITE certains engénieurs et scientifiques, et pourrait même les conduire à PÉTER UN PLOMB.”

Pour récompenser ses efforts, Faraday s’est vu attribuer non pas une mais deux unités du système international – le farad et le faraday. Quant à Maxwell, nous lui rendons hommage à chaque fois que nous prononçons le mot qu’il a forgé: électromagnétisme.”

Quando o cânone dos 300.000 vai cair? Não tão rápido quanto eu aperto o interruptor, talvez.

banquet

années-lumière pour toi

O anônimo inventor do raio X, Wilhelm Roentgen. “Les gens qui voyagent souvent sur de longs vols intercontinentaux (vols qui s’effectuent à travers la diaphane stratosphère, à une dizaine de kilomètres au dessus du sol) peuvent être à la longue exposés à des quantités indésirable de rayons gamma solaires.”

La conservation de l’énergie est, en effet, une promesse d’existence éternelle. L’univers est, en pratique, un système fermé.”

la foire perpétuelle qu’a lancée le grand Bang.” Talvez se se dissesse la foire perpétuelle qui a lancée le grand Bang chegariam mais próximos da verdade cosmológica e fenomênica das coisas, sem prejuízos também para a gramática!

<Après ma mort, j’espère que certains de mes atomes se retrouveront dans un chat.>”

O bom de não entender tudo neste livro é que perco as piadas idiomáticas sem-graça.

Quand ion-plus cherche ion-moins, vous pouvez être tranquille, il n’y a aucun risque d’inceste.” “On ne peut pas manger du sodium pur et il est déconseillé de respirer du chlore: tous deux sont toxiques. Mais, mettez-les ensenble et bon appétit.” “d’où le mot <salaire>, du latin <salarius>, une allocation pour le sel.” “il y a dans chaque grain plus d’atomes que d’étoiles dans la Voie Lactée.”

O “v” também é “fau” no Holandês?

graphite – d’innombrables feuilles d’atomes de carbone empilées les unes sur les autres, un peu comme les couches de toffee caramélisé à l’intérieur de certaines friandrises. (…) Pressez la pointe de votre crayon sur le papier pour noircir une case, et ce sont une strate ou deux de cristaux de carbones qui s’en vont.”

un piéton qui n’ose se glisser dans les toilettes STRICTEMENT RÉSERVÉS À LA CLIENTÈLE des cafés et restaurants”

Même les virus, considérés par beaucoup comme n’étant pas vraiment vivants, contiennent malgré tout du carbone, dans le sac à dos génétique qu’ils transportent d’un hôte à l’autre. Il n’est pas très étonnant que la moitié de tous les chimistes travaillent dans le domaine de la chimie organique, qui est l’étude des composés contenant du carbone.”

Le carbone collabore volontiers avec presque tous les acteurs du tableau périodique, sauf l’hélium, le néon et les quatre autres gaz nobles (argon, krypton, xénon et radon), ainsi nommés en raison de leur refus hautain de se connecter chimiquement à quoi que ce soit. En outre, le carbone est incomparable parmi les éléments pour sa capacité à se lier à lui-même quasiment indéfiniment (…) En outre, la liasons entre deux atome de carbone est la liaison la plus forte que l’on connaisse, bien plus forte que celle entre deux atome de silicium (…)” “l’intransigeant diamant, la substance la plus dure que l’on connaisse, exception faite d’un coeur humain devenu indifférent.” “De temps à autre, une éruption volcanique recrachait quelques-uns de ces diamants vers la surface, et un autre monarque pouvait avoir sa couronne, ou Marilyn son ami en forme de poire.”

En chinois, <chimie> et <changement> partagent un même idéogramme, qui réprésente un changement de posture, simple mais non équivoque: une personne passant de la station debout à la station assise.”

Le Grand Sir Isaac Newton, un alchimiste passionné bien qu’occasionnel, considérait moins le mercure comme un élément distinct que comme un principe fondamental, comme l’essence de tous les métaux, qu’il recherchait dans sa forme la plus noble et la plus <philosophique>. Dans son laboratoire de Cambridge, Newton manipulait des gouttelettes de mercure; il en inhala les vapeurs jusqu’à devenir fou qu’un chapelier ou aussi excentrique qu’un [fou]rrier [inglês furrier; vendedor-de-peles] – artisans tristement célèbres pour les effets que produisait sur eux le mercure utilisé pour traiter les fourrures [as peles].”

les Montaigu et les Capulet”

O mais irônico sobre o argumento do ridículo que seria que o homem tivesse vindo do macaco é que ele é talvez o único “ad hominem” simiesco da História!

Dizer que não usamos a capacidade total de nosso cérebro é uma espécie de fuga dos prepotentes do “ser humano como estágio final”: ao mesmo tempo que desprezam essa criatura, até hoje coletora de fracassos, querendo que ela mude por inteiro, fabricam um álibi para que a mudança seja “totalmente invisível”, ou seja, que se opere milagrosamente neste ser humano corrompido. Porque ele tem um potencial infinito ainda dormente, é o que reza a crença neste novo Além. Obviamente esse disparate tinha mesmo de surgir na época da celebridade dos neurocientistas. Do seu consultório damos 2 saltos e… estamos lendo a sorte na borra do café e cheirando incenso.

Ils ont aujourd’hui des indices forts tendant à montrer que le géniteur de Moby Dick ressemblait à un loup, courait comme un loup mais mangeait comme un porc, car il était très proche des anciens Artiodactyles, le groupe d’ongulés à sabots qui regroupe aujourd’hui les porcs, les chameaux, les vaches et les hippopotames.” Fenrir, le chevalier-loup!

ditado popular que se tornou satânico em português: “quand on parle du loup en voit la queue” “falando no diabo…”

Un superbe Muséum d’Histoire de la Terre tout neuf, à Eureka Springs dans l’Arkansas, expose des modèles fastidieusement détaillés, moulés sur des fossiles authentiques, de Tyrannosaure, Thescelosaure et autres dinosaures, mais les juxtapose à Adam et Ève en attribuant la disparition des dinosaure essentiellement au Déluge.” Deleuze déluge deluxédition Deus loses

Quand le monde entier est votre spécialité, il vaut mieux avoir la tête sur les épaules. Les géologues se considèrent comme les champions de l’interdisciplinarité. Ils font du terrain et de la paillasse, empruntent à la chimie, la physique, l’écologie, la microbiologie, la botanique, la paléontologie, la théorie des systèmes complexes, la mécanique et, bien sûr, la modélisation numérique.”

Quando o mundo inteiro é sua especialidade, é melhor ter a cabeça sobre os ombros. Os geólogos se consideram como os campeões da interdisciplinaridade. Eles se utilizam dos terrenos a céu aberto e dos laboratórios, se servem da química, da física, da ecologia, da microbiologia, da botânica, da paleontologia, da teoria dos sistemas complexos, da mecânica e, decerto, da modelização numérica.”

Il y a 1,3 milliard de billions de litres d’eau sur Terre, suffisamment pour couvrir les ¾ de la surface de la planète avec des océans d’une profondeur moyenne de 4 kilomètres.”

Há 1,3 bilhão de trilhões de litros d’água sobre a Terra, o suficiente para cobrir ¾ da superfície do planeta com oceanos duma profundidade média de 4 kilômetros.”

311-312: da “genealogia” dos oceanos. Como é segura esta exposição acadêmica! Tão provável quanto a SINGULARIDADE do ponto de densidade infinita, infinitesimal, que “gerou” o DEVIR! A necessidade desesperada de uma tal “chuva noélica”, alfa/ômega da História da empiricidade, o meta é a meta. Mata a alma. As águas sempre foram um rio (DICA).

nous inspirons et expirons près de 13 kilogrammes d’espace personnel par jour.”

Observez n’importe laquelle des cellules de votre corps au microscope et regardez les mitochondries, ces composants en forme de saucisses dans lequels l’oxygène est brûlé et les molécules des aliments transformées en paquets d’énergie, pour être stockés ou utilisés selon les besoin. Ces mitochondries sont les descendants d’anciennes cellules indépendentes; et bien qu’elles aient depuis longtemps abandonné les moyens de vivre seules, les mitochondries conservent quelques attributs de leur ancienne liberté, au sein de leur pétite réserve de gènes. L’ADN mitochondrial est différent du génome bien plus grand de la cellule entière, stocké dans le noyau. Son nombre limité de gènes code pour des protéines dévouées essentiellement aus affaires aérobies et à la production d’énergie.”

Observe não importa qual das células de seu corpo ao microscópio e veja as mitocôndrias, esses componentes em forma de salsicha dentro dos quais o oxigênio é queimado e as moléculas dos alimentos transformadas em pacotes de energia, para ser estocados ou utilizados segundo as necessidades. Essas mitocôndrias são os descendentes das antigas células independentes; e se bem que elas tenham abandonado há muito tempo os meios de viver sozinhas, as mitocôndrias conservam certos atributos de sua antiga liberdade, no seio de sua pequena reserva de genes. O ADN mitocondrial é diferente do genoma bem maior da célula inteiriça, estocado no seu núcleo. Seu número limitado de genes programa proteínas que se devotam essencialmente aos assuntos aeróbicos e à produção de energia.”

les plantes modernes vivent une vie de Dr Jekyll et Mr Hyde: le jour, tandis que l’énergie solaire galvanise leurs équipements photosynthétiques, les plantes absorbent du dyoxide de carbone, produisent du sucre et dégagent du dioxygène; la nuit, elles reprennent une partie du dioxygène, le réabsorbent et l’utilisent pour transporter partout dans la plante la nourriture faite maison.”

as plantas modernas vivem uma vida de Dr. Jekyll e Mr. Hyde: durante o dia, enquanto a energia solar galvaniza seus equipamentos fotossintéticos, as plantas absorvem dióxido de carbono, produzem açúcar e liberam di-oxigênio; à noite, elas recapturam uma parte do di-oxigênio, o reabsorvem e o utilizam para transportar por toda a planta a comida feita em casa.”

Oui, mon ami, la vie serait si belle, si nous avions une cervelle!” Mágico de Oz

À ce stade, je dois dire qu’il est regrettable que les respectables théologiens de la chrétienté aient abandonné depuis longtemps l’idée que l’enfer puisse être un lieu bien tangible, très chaud et insupportable, enfoui profondément sous terre, et qu’ils l’aient remplacé par quelque molle métaphore du genre <l’enfer est le désert spirituel dans lequel on vit si l’on se détourne de Dieu>.”

Você sabia? A NASA é que pesquisou e dominou a técnica do “suco em pó”, o famoso Tang™, ideal para as explorações espaciais!

Le mot <planète> vient en fait du mot grec signifiant <vagabond>.”